1999-2003 Salvador fase 1

A minha mudança em 1999 para a Bahia, proporcionada pelo Ise (Roupa Velha) que já morava há alguns anos em Salvador, foi marcada por uma rápida conexão com o mundo do choro local.

Por coincidência, fui morar inicialmente na Praia do Forte, vizinho ao Zéo, bandolinista local, auto-didata, e com grande percepção musical, de quem me tornei amigo e parceiro de noitadas. Também na Praia do Forte conheci Edvaldo, outro bandolinista que me carregou para algumas rodas de choro em Salvador.

No primeiro encontro com esses músicos conheci Fernando Menezes, grande bandolinista e compositor, que de maneira definitiva me colocou em contato com o meio musical baiano.

Foram muitas reuniões musicais, normalmente recheadas de bons bandolinistas. Numa dessas oportunidades, já estabelecido em Salvador, conheci o grande violonista mineiro de Ponte Nova, Tonzé Amora, que foi meu parceiro musical oficial e grande amigo.

Certa ocasião, Fernando me perguntou se não tinha músicas próprias para mostrar-lhe; a partir daquele dia, comecei uma intensa produção que guardava em algumas fitas cassetes e mostrava eventualmente para o Ise que acompanhava. Aproveitando essa fase, fizemos uma apresentação na Rádio Excelsior.

Mesmo sendo Salvador uma cidade musical por natureza, carece ainda de bons espaços para divulgação de alguns estilos musicais. Dessa maneira, as oportunidades de apresentações oficiais eram raras, e acabávamos saciando nossa vontade de tocar em reuniões privadas, como os saraus na casa do João Américo.

Algumas iniciativas como as rodas de choro no Teatro Vila Velha e no Sasderba, eram ainda oportunidades que procurava aproveitar.

Nas minhas viagens para Pelotas, mantinha ainda contato com antigos parceiros musicais participando de encontros informais e alguns formais, como a apresentação no Restaurante Rua XV, juntamente com Sérgio Martins (Sax), Possidônio (violão) e Leandro (pandeiro).

Em 2001, Tonzé Amora me acompanhou em uma viagem à Pelotas, onde fizemos uma apresentação no Restaurante Rua XV e também no Conservatório de Música de Pelotas, organizada pelo prof. Raul D´Ávila.

Abaixo dois registros de musicas autorais feitas nesse período - Valsa alegre, com o acompanhamento do Ise no programa na Rádio Excelsior em Salvador e Valsa em lá menor com o acompanhamento de Tonzé Amora no Restaruante Rua XV em Pelotas.

 

Valsa Alegre -
00:00 / 00:00
Valsa em la menor -
00:00 / 00:00
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now